fbpx
Banner Promocional - Aprenda sobre café e empreendedorismo
O maior evento digital para quem quer abrir uma cafeteria
Tag

PRODUÇÃO DE CAFÉ

Browsing

A startup  colombiana Woodpecker utiliza resíduos de cafés das fazendas combinados com plástico reciclado para criar casas populares. A iniciativa além de contribuir para a moradia no país, ainda pode solucionar outro problema, que envolve a reutilização da produção de café. Confira como é o trabalho da empresa nos tópicos abaixo!

Woodpecker

A Woodpecker é uma empresa com sede Bogotá, que atua no mercado nacional a partir da produção e comercialização de produtos com material WPC, sigla para Woodpecker, que é constituído por fibras vegetais e polímero. Esse material possibilita maior resistência e duração para elementos para arquitetura, construção civil, industrial, dentre outros.


LEIA: WOOD N’ COFEE CRIA PRODUTOS COM MADEIRA DE CAFÉ


Café e casas populares

A startup utiliza resíduos de cafés (casca) para construir edifícios leves e casas pré-fabricadas, que podem servir como moradia ou para fins sociais, abrigando escolas e outros serviços básicos.

O material WPC é composto por cascas de café, unidos a plástico reciclado, que permitem uma construção mais sustentável, comparadas à algumas modalidades convencionais.

A partir da iniciativa da empresa, as fazendas de café agora têm um outro destino para os resíduos, que agora conseguem ser reaproveitados para ajudar a população colombiana, além de contribuir para o meio ambiente.

resíduos de cafés
Cascas de cafés formam o material das casas. Foto: Woodpecker

Essas construções também têm vantagem porque são rápidas e simples, conseguem atender diferentes setores.

Alejandro Franco, CEO da Woodpecker, aponta que a casca do café foi escolhida por ser mais forte e seca que as outras fibras. O material é resistente a pragas e umidade, permitindo que seja segura para habitações de baixa renda.

As casas são formadas por peças de plástico padronizadas que se encaixam em uma estrutura de aço, em um processo de instalação simples.  Com a produção em larga escala e o uso de materiais reciclados e resíduos, os custos caem e as casas podem chegar a ter um custo de US$ 4,5 mil.

Fonte: Natasha Olsen/Ciclo Vivo.

A produção de café especial necessita de cuidado e muita dedicação, pois são cafés acima da média, isso significa que não são produzidos de qualquer forma. Este artigo é voltado para quem pretende iniciar a produção, mas não sabe por onde começar.

Separamos 5 primeiros passos que podem auxiliar na produção de cafés de qualidade. Quer saber como? Confira abaixo.

1. Lavoura

Tudo começa na lavoura, onde a escolha do cultivar precisa ser certeira, como por exemplo, a escolha de um carro. Se você escolhe um carro esportivo para trabalhar na estrada de terra, ele não vai conseguir expressar seu máximo potencial. Portanto, com o café é a mesma coisa, cada cultivar se adapta a uma região, terroir, altitude, clima, etc.

fruto do café especial
Fruto do café

Depois dessa definição, o cuidado com nutrição é essencial, pois a planta de café precisa de 17 nutrientes para crescer forte e saudável.

2. Colheita

A colheita bem feita é fundamental para produzir um café especial. É preciso estar atento ao processo escolhido e tomar muito cuidado para não colher uma quantidade grande de frutos verdes que vão atrapalhar nos próximos passos. Além de que, o manejo errado pode machucar o café e causar danos para a próxima safra. Por isso é uma etapa que merece atenção!


VEJA TAMBÉM: COMO FUNCIONA A GESTÃO NA PRODUÇÃO DE CAFÉS


3. Pós-colheita

O pós-colheita, é a fase mais importante e que exige muita atenção e cuidado. A escolha do processo ideal para cada lote de café é crucial para alcançar o máximo potencial desses frutos.

Existem dois processos que são os mais usados : 

  • Natural, quando o café chega da lavoura, passa apenas pelo lavador e será seco com a casca.
  • Cereja descascado (o famoso CD), depois de passar pelo lavador o café passa por uma máquina que retira a casca do fruto deixando somente a semente.

Além desses dois, existe a fermentação induzida, um processo que vem ganhando bastante destaque nos últimos anos. Esse processo acontece normalmente em ambientes vedados sem a presença de ar, mas ainda é um processo muito novo e arriscado.

processos de café
A pós-colheita é uma etapa fundamental

Para acertar na escolha do processo ideal é fundamental realizar um mapeamento de talhão antes do início da colheita. Neste mapeamento é possível testar os processos em pequenas quantidades de café e identificar qual deles combina mais com o lote.

4. Processo e secagem

Além do processo, a escolha do modo de secagem é extremamente importante, nesse passo a velocidade pode ser inimiga da qualidade, pois o cuidado e atenção ao lote faz toda diferença.

Organização e limpeza são cruciais. É muito importante evitar a mistura de lotes, contaminação com qualquer elemento que não seja café  (pedra por exemplo) e a secagem desuniforme.

Com isso, a secagem em terreiro suspenso e terreiro de concreto, desde que esse esteja em perfeitas condições para esse processo, é ideal para qualidade. 

Alguns fatores minuciosos mas que fazem diferença:

  •  exposição ao sol, a quantidade de calor que a semente recebe durante o dia;
  •  forma e frequência de revolvimento do café; 
  • quantidade de café por m²;

5. Descanso do café

O último passo é o descanso do café depois de terminar a secagem e chegar na umidade ideal.

A semente sai de uma umidade média de 40% para chegar em 11% em um curto espaço de tempo recebendo calor e atrito. 

Deixar o café descansar em um ambiente escuro e sem umidade por alguns dias faz com que a semente entre em equilíbrio e o lote se iguale por inteiro.

produção de café especial
Descanso do café é essencial

Portanto, como apresentado, são 5 passos iniciais importantes para quem deseja iniciar a produção de café especial. Como mencionado, todas as etapas são fundamentais para chegar no resultado desejado. Aprimorar os processos é a chave para alcançar maior qualidade e extrair o melhor dos cafés. 

Gostou das dicas? Compartilha esse conteúdo com os amigos!

A fazenda de café é uma empresa como qualquer outra, mas por muito tempo não foi vista como tal. Administrar uma propriedade rural não é uma tarefa fácil, já que culturalmente a gestão na produção de cafés acontece de improviso, em na maioria das vezes o  proprietário só vai saber no fechamento da colheita qual foi o lucro alcançado.

Neste artigo, vamos apresentar como funciona a gestão na produção de cafés e quais os processos envolvidos antes e depois da lavoura. Continue a leitura para entender!

Perfil do produtor de café brasileiro 

De acordo com o Relatório de Pesquisa elaborado pelo PENSA (Centro de Conhecimento em Agronegócios da Universidade de São Paulo) dentro do convênio com a Universidade Illy do Café, o perfil do produtor de café no Brasil consiste em:

  • 51% dos cafeicultores não possuem ensino superior
  • 78% desses produtores são os responsáveis pela gestão da propriedade
  • 77% possuem mais de 40 anos

Por meio desses dados e de fatores culturais observados em grande parte das pequenas e médias propriedades, podemos observar que muitos produtores não tinham acesso a ferramentas de gestão que poderiam auxiliar sua propriedade.

Agro 4.0 

Nos últimos anos a participação de jovens dentro do setor agropecuário no Brasil, inclusive na cafeicultura, tem crescido e influenciado diretamente na gestão das propriedades.

Isso acontece porque o jovem tem fácil acesso à informação e tecnologia, conectando o campo a cidade com muita rapidez e facilidade.

Com isso, a utilização de sistemas de gestão mais eficientes desenvolvidos por empresas chamadas de startups tem chegado a propriedade rural e facilitado a administração delas.

Essas metodologias têm a intenção de facilitar os processos, valorizar os colaboradores e estar mais próximo e atento ao que o consumidor procura.


LEIA MAIS  SELOS E CERTIFICAÇÕES NAS EMBALAGENS DE CAFÉ


Os processos

As metodologias ágeis buscam sempre simplificar processos, cortar desperdícios e despender somente o tempo necessário para determinada tarefa, e por isso, o planejamento é essencial.

Produzir café não é uma tarefa fácil, apesar da colheita acontecer uma vez no ano, os processos para alcançar a produtividade  e sanidade da lavoura começam com bastante antecedência.

Além do manejo da lavoura durante todo o ano, o produtor de café precisa se atentar aos processos de pós-colheita, que exigem grande atenção e muitos recursos em um espaço de tempo muito curto.

gestão na produção de cafés também envolve a colheita
Colheita de café.  Foto: Delightin Dee/Unplash.

O planejamento é fundamental e precisa começar já nas primeiras aplicações que são feitas na lavoura logo após a última safra. Só assim o produtor vai ter acesso ao custo final da sua saca e conseguir calcular o seu lucro.

O produtor precisa programar as datas de compra de insumos para mapear a aplicação com antecedência, e assim, conseguir fazer as aplicações no momento ideal para o metabolismo da planta.

A propriedade rural é uma empresa a céu aberto, o que significa que além de programar as adubações e outras aplicações necessárias, o produtor precisa ficar atento a previsão do tempo, pois o excesso de chuva, ou a falta dela influencia diretamente no resultado dos produtos utilizados.

Além disso, o planejamento da colheita é fundamental para conseguir conduzir um processo de pós colheita eficiente e conseguir lidar com os imprevistos de uma maneira organizada e o mais simples possível.

Apesar de parecer complexo, o processo de gestão na produção de cafés eficiente é simples na prática, mas precisa ser bem executado. Já os resultados podem ser surpreendentes e ajudar na busca pela produção de qualidade, eficiente e rentável para o produtor.