fbpx
Banner Promocional - Aprenda sobre café e empreendedorismo gratuitamente
Aprenda sobre café e empreendedorismo gratuitamente
Tag

filtro de papel

Browsing

E se o papel usado no preparo do seu café se transformasse, do filtro à arte?

Sabemos que o café é fruto do trabalho de muitas mãos. Da lavoura até a xícara, inúmeras pessoas são envolvidas diretamente nos processos. 

Paralelamente, o papel utilizado nos filtros, consome, igualmente, muitos recursos para que possamos ter nossa bebida mais limpa e agradável.

Mas o que fazemos com o resíduo gerado pelo consumo de café?  Para esse artista, jogar o filtro de café no lixo, não é uma opção.


VEJA TAMBÉM: MÉTODO MELITTA: O CLÁSSICO NAS CASAS BRASILEIRAS


TALENTO COMO TERAPIA

Sidnei Robinson de Oliveira é um ex-bancário de Mogi das Cruzes (SP), bacharel em direito, que após complicações de uma infecção na medula, perdeu o movimento dos membros inferiores. Depois do período de adaptação como cadeirante, e um quadro depressivo, encontrou uma encantadora maneira de superar-se.

Em um café da manhã com a família, em 2016, numa despretensiosa conversa, observou um filtro de café na mesa. Percebeu a forma como o café coloria o papel e começou a imaginar como poderia transformá-lo. 

De acordo com Sidnei, não houve ajuda de nenhum orientador, nenhuma escola, tudo foi acontecendo sem conhecimento algum sobre a técnica. Já que Sidnei nunca havia realizado trabalhos manuais, nem artísticos, anteriormente, o desenvolvimento foi totalmente intuitivo

Simplesmente deixou fluir sua inspiração e começou a dobrar e colar os filtros em diversos formatos, como um mecanismo terapêutico. Foi evoluindo e aperfeiçoando seu modo de criar.

Como resultado, as formas foram se modificando e surgiram telas e painéis e segundo o próprio artista, de uma maneira totalmente orgânica.

Sidnei de Oliveira, o artesão

LEIA: A HISTÓRIA DO MÉTODO KOAR


PAPEL, CAFÉ E COLA

O processo consiste em utilizar um filtro de café usado, adequadamente seco, e retirar o excesso da borra aderida ao papel, com auxílio de um pincel.

Logo depois, Sidnei os dobra, para que fiquem no formato desejado e uma camada de cola é aplicada e assim, surgem formas abstratas, mosaicos, mandalas e uma infinidade de criações artísticas.

No entanto, quando a obra apresenta relevo, não é utilizado qualquer outro material para conferir altura. As obras são puramente à base de filtro e cola branca, e tudo é feito minuciosamente, sobrepondo filtro a filtro.

Painel de Filtros reciclados de Sidnei de Oliveira

SAIBA MAIS: EMPRESA JAPONESA CRIA FILTROS DE PAPEL PARA CADA NÍVEL DE TORRA


DESIGN SUSTENTÁVEL  

A obra que reaproveitou mais filtros, até o momento, utilizou 3200 coadores reciclados.

De acordo com as proporções de cada obra, Sidnei leva em média 10 dias para concluí-las.

Eu vi que meu trabalho, agrega pela reciclagem e sustentabilidade, e valoriza o trabalho de muitas pessoas, que se empenharam para produzir, tanto o papel, quanto o café. Me emociono quando as pessoas mais simples se encantam com meu trabalho e, se depender de mim, nenhum coador usado irá para o lixo”.

Arte de Sidnei de Oliveira

Seu trabalho já alcançou vendas para outros estados do Brasil e Sidnei já foi reconhecido em um concurso de arte. Deverá fazer em breve, parcerias com cafeterias para expor suas criações.

E claro, toda doação é bem-vinda para a continuidade desse trabalho. 

Para tanto, você pode lhe enviar os filtros usados, sem o excesso da borra, e devidamente secos para evitar emboloramento. Para entrar em contato com o artista, clique aqui


TALVEZ VOCÊ TAMBÉM SE INTERESSE POR: COMO DESENVOLVER ANÁLISE SENSORIAL PARA O CAFÉ


E se você não imaginava o que fazer com o filtro de papel, usado para coar seus cafés favoritos, agora já sabe. 

Ele pode passar pelas mãos de artistas como o Sidnei de Oliveira, e compor trabalhos artísticos inspiradores como esse.

Certamente o Melitta é o método clássico de preparo de café nas casas brasileiras. Mesmo não possuindo esse coador, é muito provável que você já o tenha visto de perto ou se inebriado com o cheirinho de café feito nele.

Melitta é a marca da multinacional líder na indústria de café, presente em muitos países, sendo referência mundial neste setor há mais de um século. Produzem diversos tipos de cafés e outros produtos alimentícios relacionados, e também comercializam acessórios, equipamentos e utensílios para preparo de café.

Imagem de Melitta Group

A REVOLUCIONÁRIA SRA. MELITTA BENTZ

Mas a origem de tudo vem de um incômodo de uma dona de casa de Dresden, Alemanha, em 1908.

Sra. Amalie Auguste Melitta Bentz, inquieta diante das observações de seu esposo, teve uma ideia que revolucionaria o preparo de café no mundo. Sr. Hugo Bentz desaprovava o café feito pela esposa, dizia estar desagradável e inconsistente, com borra na xícara e por vezes até cheirando a mofo.

Naquela época,  era comum o uso de coadores de pano feito de linho. Com o tempo, esse material vai saturando de resíduos impregnados e dificultando sua higienização, favorecendo o crescimento de microrganismos.

Diante disso, Dona Melitta Bentz improvisou um coador, perfurando o fundo de uma caneca de latão com martelo e pregos. Recortou um pedaço de papel mata-borrão (um tipo de papel muito absorvente) e encaixou-o no fundo do aparato. Preparou enfim, um café sem resíduos e mais agradável, criando o primeiro sistema de coador com filtro descartável.

Obteve sua patente registrada em 08 de julho de 1908, mudando a história do preparo e consumo do café para  sempre.

Imagem de Melitta Group


LEIA AQUI SOBRE A CHEMEX: A ARTE EM FORMA DE MÉTODO

LINHA DO TEMPO

Era ainda um pequeno negócio, onde tudo era feito manualmente. Todavia, com o empenho da família, procuravam divulgar o produto em feiras na Alemanha, e empresa foi expandindo. Além de aperfeiçoarem o tipo de papel utilizado nos filtros e os coadores de alumínio, em 1919 a Melitta passou a fornecer, também, os modelos em porcelana e cerâmica, terceirizando a produção. Em 1922,  já exportavam.

Evolução dos modelos Melitta . Imagem de Melitta Group

Em 1925, a marca Melitta foi registrada com as clássicas cores verde e vermelha que ainda vemos nas embalagens de filtros e café. O suporte com o design cônico e base achatada foi desenvolvido em 1937, favorecendo o encaixe perfeito do filtro de papel, com ranhuras internas e apenas um orifício de passagem.

Os coadores coloridos foram lançados em 1954 e o clássico era na cor marrom. Em 1960, o plástico era o material da vez, surgindo os coadores Melitta transparentes e, logo depois, os de plásticos coloridos. 

A empresa Melitta Chegou ao Brasil em 1968, na cidade de São Paulo, inovando a maneira dos brasileiros prepararem café por aqui, que até então era feito no popular coador de pano de algodão. Permanecem até os dias atuais oferecendo diferenciados produtos para os apaixonados por Café.

Créditos: Arlouk em Pixabay

FILTROS E PORTA-FILTROS

Os filtros e coadores Melitta são encontrados em diversos tamanhos, desde o modelo para dose individual (Melitta 100) até o N4, que atende aquele café para a família, com capacidade para mais xícaras.

Nos seus diversos modelos, feitos em diferentes materiais, como plástico, acrílico e porcelana, também existem pequenas diferenças no design e em suas ranhuras internas. A função das ranhuras, além de impedir que o filtro grude nas paredes, é direcionar o fluxo do líquido da extração para a saída. Sendo assim, cada modelo traz um resultado diferente no preparo do café.

Uma das últimas novidades, é o filtro Melitta Gourmet Aroma Zones, que, além de qualidade elevada no papel, possui zonas de extração inteligentes. São 3 camadas com concentrações diferentes de micro furos, que interagem com o porta-filtro para uma extração homogênea.  A zona superior do papel tem a maior concentração de micro furos em relação à  inferior, equalizando a extração. (Fonte: Melitta do Brasil)


LEIA TAMBÉM: EMPRESA JAPONESA CRIA FILTROS DE PAPEL PARA CADA NÍVEL DE TORRA


DICA DE BARISTA PARA UM BOM CAFÉ NO MELITTA

O Melitta é um método descomplicado, embora mereça igualmente nossa atenção no preparo, para um resultado perfeito na xícara.

O formato e as ranhuras internas facilitam o fluxo e a velocidade da percolação (passagem da água pelo café moído), porém o orifício para o escoamento no Melitta é menor em relação a outros métodos. Isso faculta certa retenção durante a extração. 

Para uma melhor performance do porta-filtro, principalmente em moagens mais finas, é recomendado usar sua capacidade máxima de volume. Quanto maior volume, maior será a ação da gravidade pelo peso da água, favorecendo assim, a velocidade da extração.

Em outras palavras, o melhor é escolher o tamanho do coador Melitta conforme a quantidade de xícaras que você precisa, evitando porta-filtros maiores para poucas gramas de café.

Existe um modelo do Melitta com dois furos de saída, permitindo que se faça a extração em duas xícaras ao mesmo tempo. Para tanto, é necessário equilibrar bem os despejos da água sobre o café para que a extração seja equiparada em ambos os lados.

Créditos: Andrea Dias Foto e Vídeo

SAIBA MAIS EM : COMO FAZER UM BOM CAFÉ EM CASA


DESAFIO MELITTA

Atualmente é abundante a oferta de equipamentos e utensílios para o preparo de cafés, desde os mais simples até os mais tecnológicos, dos mais diversos fabricantes.  Cada método carrega seu valor, sua particularidade e sua história, para alegria dos baristas e apreciadores da segunda bebida mais consumida no mundo. 

E se o Melitta andava meio subjugado no mundo dos cafés especiais, Maycon Alves (@diariodeumcoffeelover) proprietário da cafeteria paulistana Coffee Sweet Coffee, reuniu um grupo de coffeelovers do Brasil todo para mudar esse cenário.

Foi lançado um desafio para que baristas e amantes do café, pudessem criar, voluntariamente, a sua melhor receita para o Melitta. O intuito não teve vínculo nenhum com a empresa, nem haveria premiação. Foi motivado justamente por essa provocação em oportunizar o preparo em um método pouco prestigiado nos cafés especiais.

Créditos: Maycon Alves (Diário de Um Coffee Lover)

Com a brincadeira, diversas receitas foram surgindo e sendo publicadas nas redes sociais e o desafio ultrapassou os limites daquele grupo.  O resultado foi a reflexão de que todo método precisa ser bem trabalhado, e para se extrair um bom café, basta observar suas peculiaridades.

E o método Melitta permanece percorrendo sua firme e importante trajetória no universo dos cafés e aqui fica o nosso agradecimento por toda a contribuição. 

E para você? Esse método também faz parte da sua história? 


 

A japonesa Cafec criou filtros de papel cônicos projetados para cafés com torras em níveis específicos.

Sob o nome Cafec Osmotic Flow, os filtros vêm em três variedades: uma para torras leves; uma para média-escura; e uma para torras mais escuras.

A Cafec mantém um processo proprietário de secagem por ar quente que resulta na criação de uma textura que chamam de  “crepagem”  que pode acontecer  em ambos os lados do papel  ou em apenas um dos lados do filtro.

Cada filtro da linha Osmotic Flow oferece uma abordagem diferente para essa superfície de “crepagem”, além de apresentar diferentes densidades e espessuras da malha que afeta diretamente  o fluxo de extração da água.

FILTRO PARA TORRAS CLARAS

Filtro de Papel para torras claras. Reprodução Cafec
  • Espessura Nível 1: 0,15 mm
  • Densidade: Alta
  • Crepagem em apenas um lado (sem crepagem por dentro e com crepagem por fora)

Não há crepagem do lado de dentro do papel, portanto a área da superfície interna é menor. Os pós finos do café  (fines) se ligam a essa pequena área, deixando pouco caminho para a água, então a água se acumula dentro do filtro de papel. Ao acumular água, extrai-se muito aroma. Além disso, graças a crepagem externa, o líquido do café que infiltra pelo papel acaba fluindo suavemente.
Como a densidade do papel é alta, quase todo o pó fino é perfeitamente removido.
Dessa forma, obtém-se uma xícara de café limpa.

Fluxo de água e retenção dos fines no filtro para torras claras. Reprodução Cafec
Imagem microscópica do filtro para torras claras. Reprodução.

O Grupo Melitta está ajustando parte de suas operações de produção em uma contribuição ao fornecimento de máscaras faciais urgentemente necessárias. As máscaras estão sendo fabricadas em grandes quantidades nas instalações de produção dos filtros de café Melitta® em Minden, Alemanha.

Com a capacidade de produção é possível fabricar quantidades consideráveis ​​de máscaras faciais em um tempo muito curto, explica Jero Bentz, membro da Diretoria de Gestão Corporativa e sócio geral do Grupo Melitta.

“Durante décadas, nossa empresa se especializou no desenvolvimento e produção de materiais de filtro, como filtros de café, sacos de aspirador de pó e outros papéis especiais industriais,  inclusive para o setor médico”.

Essa experiência, em conjunto com as instalações de produção de filtros de café, voltadas para a fabricação de grandes quantidades, foi agora reunida pela empresa em um curto prazo para dar a mais alta prioridade à produção de máscaras faciais necessárias.

Reprodução. Melitta Group

O resultado é uma máscara facial, em forma de filtro de café, com muito boas características de filtragem, respiração e desgaste. Consiste em um material não tecido de três camadas e inclui uma camada soprada que atende ao padrão para máscaras cirúrgicas com uma eficiência de filtragem bacteriana > 95%.

 

 

Na primeira etapa, essas máscaras são presas com um clipe ou faixas elásticas. Existe o planejamento para desenvolver ainda mais as máscaras nas próximas etapas.

A Melitta produziu o primeiro milhão de máscaras. As capacidades existentes devem ser capazes de produzir até um milhão de máscaras por dia em um futuro próximo. Essas quantidades podem ser aumentadas consideravelmente passo a passo, desde que existam matérias-primas suficientes.

Reprodução. Melitta Group

Além da Alemanha, o Grupo Melitta também planeja usar as capacidades de produção existentes nos EUA e no Brasil para fabricar máscaras para países da América do Norte e do Sul.

“Estamos convencidos de que, em termos de qualidade e quantidade, juntamente com a disponibilidade rápida, podemos dar uma contribuição significativa à saúde das pessoas e aliviar as restrições causadas pela epidemia do COVID-19”, comentou Jero Bentz.

Clique aqui para ver o artigo original publicado.

IMPORTANTE COMUNICADO DA MELITTA BRASIL:

Comunicado no Site da Melitta do Brasil. Reprodução