fbpx
Banner Promocional - Aprenda sobre café e empreendedorismo gratuitamente
Aprenda sobre café e empreendedorismo gratuitamente
PARA CAFETERIAS

LEITES VEGETAIS E NEGÓCIOS PARA CAFETERIAS

Pinterest LinkedIn Tumblr

Os leites vegetais podem representar novas possibilidades de negócios para os empresários do nicho de cafeterias.

No primeiro dia do mês de novembro comemora-se o Dia Mundial do Veganismo. Mas o que o mercado de cafés de qualidade tem a ver com isso? Será que o empresário do nicho de cafeterias precisa mesmo se preocupar em oferecer alternativas ao leite animal? Esse mercado é sólido ou seria uma moda passageira? Como as gigantes do mercado estão se posicionando em relação a isso?

Discutiremos esses pontos nesse artigo para te ajudar a tomar melhores decisões para maximizar lucros e fidelizar o crescente público consumidor de produtos veganos.

MERCADO VEGANO CONTINUA AQUECIDO

Diversas pesquisas apontam para uma tendência pela busca de mais informações sobre os produtos, principalmente em relação ao trato com os animais. Em uma pesquisa realizada pelo IBOPE em 2018, 55% dos consumidores entrevistados disseram que consumiriam mais produtos veganos se estivessem indicados nas embalagens. Um número ainda mais alto de entrevistados (60%) afirmam que consumiriam mais produtos veganos se o preço fosse igual aos outros produtos de origem animal.

Certamente ainda há muita confusão no entendimento do público geral, em relação as definições sobre vegetarianismo, veganismo e outras formas de consumo e filosofia de vida.

Contudo é perceptível que o tema permanece em alta há bastante tempo e que todo dono de cafeteria já teve que tomar a decisão de oferecer ou não leites vegetais para seus clientes.

CUSTO MAIS ELEVADO

O custo mais alto de aquisição em comparação ao leite de vaca, faz com que as cafeterias cobrem um valor adicional para pedidos com leite vegetal. Entretanto, os clientes que consomem leites vegetais já sabem desse aumento de preço e, normalmente, não reclamam.

Uma alternativa para cobrar um valor adicional menor para o cliente e ainda assim, aumentar a margem de lucro é buscar receitas para preparo do leite dentro da própria cafeteria.

Filipe de Simas, proprietário da Black Horse Coffee Roasters, em Florianópolis, comenta que fez com a sua equipe alguns testes até encontrar a receita ideal para o leite de amêndoas com côco oferecido nas suas cafeterias.

Bebida produzida com leite de amêndoas com côco. Black Horse Coffee Roaster

” O custo para produção de um cappuccino com leite vegetal, quando preparamos com nosso próprio leite, é consideravelmente menor e isso justifica a utilização, mesmo tendo um prazo de validade menor, em relação ao leite vegetal de caixinha.”

OS LEITES ALTERNATIVOS MAIS USADOS

As cafeterias brasileiras estão atentas ao crescimento do público que consome opções veganas, tanto nas bebidas quanto nos lanches e refeições.

O leite de soja foi um dos primeiros a substituir o de origem animal, inicialmente para atender os clientes que possuem algum nível de intolerância a lactose.

Em relação ao teor de proteína, o leite de soja possui basicamente os mesmo níveis, quando comparado ao leite de vaca, sendo portanto um ótimo substituto do ponto de vista nutricional.

Outro leite vegetal que vem ganhando força é o leite de amêndoas. Já existem disponíveis no mercado outras opções de leites vegetais, como o de castanha, avelã, castanha de caju, aveia e coco.

MOVIMENTAÇÕES DA GRANDE INDÚSTRIA

A grande indústria também vem se posicionando para abraçar as oportunidades que surgem com os leites vegetais.

Em 2018 a empresa americana Blue Diamond, chegou ao Brasil para iniciar a comercialização dos leites vegetais Almond Breeze. No mesmo ano, a gigante Danone também iniciou a comercialização do Silk, leite de amêndoas líder de vendas nos Estados Unidos.

A Tal da Castanha | Reprodução Site

Em fevereiro de 2020 o Grupo 3 Corações adquiriu 50% do capital total da Positive Brands, detentora da marca de leites vegetais A Tal da Castanha.

A empresa brasileira Cajueiro, também oferece um variado leque de produtos, alguns desenvolvidos em conjunto com baristas para atingir excelente cremosidade para cappuccinos e outras bebidas.

CONCLUSÃO

A disponibilidade de leites alternativos nas cafeterias do Brasil, principalmente nas cafeterias de terceira onda, vem ocorrendo com uma velocidade considerável.

A atenção e movimentação de grandes players do mercado para suprir a demanda desses consumidores mais conscientes é, sem dúvida, uma oportunidade também para os pequenos e médios negócios.

Em países como Austrália e Nova Zelândia, é possível encontrar TNT`s de Latte Art com utilização exclusiva de leites vegetais.

É importante estar atento as novas demandas e oportunidades que cardápios veganos podem trazer, tanto em relação ao aumento do ticket médio, quanto a atratividade de um novo público-alvo.