Um novo repertório de certificações de qualidade estão disponíveis para os cafés brasileiros, conheça quais são  os novos selos da BSCA.

A BSCA (Associação Brasileira de Cafés Especiais)  é a entidade que fomenta pesquisa, técnicas e controle de qualidade para os cafés brasileiros, sejam do mercado interno ou externo, e está completando 30 anos de história.

Foi a primeira instituição do mundo a realizar certificação de qualidade de café verde (ou cru), que é o café beneficiado, na etapa anterior à torra. Desde 2004, por meio de seus protocolos e auditorias, certifica lotes que podem ser monitorados através de selos de controle de qualidade de cafés especiais. 

Os cafés certificados possuem rastreabilidade total, por meio de numeração individual. Assim, os consumidores podem ter acesso às informações da produção dos cafés, valorizando a garantia de origem.

Cada lote recebe o número de selos compatíveis com a quantidade a ser embalada, havendo um rígido controle nesta emissão de selos.



CERTIFICAÇÃO DE QUALIDADE

Recentemente, a organização anunciou a ampliação e diversificação de suas certificações de qualidade.

Até então, os cafés certificados eram os da espécie arábica, mas agora, os cafés da espécie canéfora, nas variedades robusta e conilon,  foram incluídos nas avaliações.

Além disso, o objetivo dessa diversificação das certificações é possibilitar a inclusão de pequenos produtores, aos quais as certificações internacionais muitas vezes é inviável, pelos custos que representam.

Os certificados são divididos em novas categorias, permitindo que o cafeicultor opte pela modalidade que melhor se adapta à sua realidade, dividem-se em Fazenda Certificada ou Boas Práticas.

Entrevistamos Vanusia Nogueira, diretora da BSCA que nos esclarece sobre as novidades, assista a entrevista na íntegra, clicando aqui.

FAZENDA CERTIFICADA

Esta chancela é direcionada a membros com certificação de sustentabilidade ou socioambiental consagradas e reconhecidas internacionalmente.

De acordo com a pontuação obtida nos lotes desses produtores, receberá os selos em níveis: Ouro (acima de 90 pontos), Prata (85 a 89 pontos) e Bronze (até 84 pontos)

 

 

BOAS PRÁTICAS

Criada com o objetivo de impulsionar a inclusão de pequenas e médias propriedades, de até 200 hectares, que não possuem certificação socioambiental.

Para tanto, é necessário ser associado e cumprir os requisitos de sustentabilidade definidos pela BSCA, como protocolos de boas práticas socioambientais.

Para produtores com até 20 hectares, é necessário um responsável técnico (com registro no Conselho Regional de Engenharia e Agronomia – CREA)

A BSCA disponibilizará um curso online de boas práticas para os interessados, onde os aprovados deverão assumir o cumprimento das mesmas por meio de um termo. Dessa forma, mobiliza os interessados para as práticas sustentáveis na produção de cafés.

QUALIDADE NO BLEND

Essa certificação é voltada aos produtores e torrefações que desenvolvam seus blends (mescla de grãos), sejam exportadoras, cooperativas, indústrias, etc.

É requisito básico que a amostra do blend seja avaliada e, portanto,  pontuada para cafés especiais (acima de 80 pontos, segundo critério SCA). O selo para essa categora será apresentado com o número fidedigno da pontuação obtida na avaliação.

 

ARTESANAL

Este selo será conferido a pequenos lotes de cafés produzidos artesanalmente, pelos membros da BSCA que conquistarem o certificado de Boas Práticas ou Fazenda Certificada. Sendo assim, contribui para a percepção ao consumidor de cafés únicos, torrados de forma artesanal.

Direcionado apenas para microlotes de até 10 sacas (60kg cada), a pontuação mínima deverá ser de 85 pontos e estará descrita no selo a pontuação obtida.

A comercialização desses microlotes deve ser apenas em grãos e com validade máxima de 12 meses.  A pontuação destacada no selo será o número exato da pontuação obtida pela amostra avaliada.


LEIA: COMO ESCOLHER CAFÉ PELA EMBALAGEM?


Os selos vistos nas embalagens são os símbolos onde o consumidor pode reconhecer o trabalho de qualidade de seus produtores, e portanto, pode agregar ainda mais valor aos cafés especiais.

Produtores, armazéns, torrefadores, cafeterias, cooperativas  e profissionais que desejem  associar-se à BSCA podem procurar a instituição diretamente pelo site ou redes sociais.

Gostou de saber? Compartilhe !