Os millennials estão transformando a cultura do café. Uma geração que nasceu e cresceu juntamente com a criação da internet, vivenciando em primeira mão um mundo globalizado e conectado, muito mais questionadora e consciente dos impactos ambientais.

Essa geração chegou para mudar a maneira como o café é produzido, consumido e apreciado, em busca de um bebida com qualidade e que valoriza o produtor.

Conheça mais sobre os millennials nos tópicos abaixo.

QUEM SÃO OS MILLENNIALS?

Os millennials ou Geração Y, são pessoas que nasceram entre 1980 e 1995, atualmente com idade de 25 a 40 anos. São indivíduos que nasceram junto à ascensão da globalização e das tecnologias digitais, fenômenos que transformaram a sociedade e o mundo. 

Existem estudos como o do “Think With Google” que dividem a Geração Y em: Old Millennials e Young Millennials. 

O primeiro grupo, os Old Millennials são de pessoas que foram crianças e adolescentes nos anos 90 e que ficaram parte das suas vidas sem a internet. Apenas em 2007, quando já eram adultos, tiveram contato com as mídias sociais e os smartphones. De acordo com o estudo, esse grupo tende a ter características mais colaborativas, flexíveis e otimistas.

Os millennials são extramente ligados ao ambiente digital

Por sua vez, os Young Millennials nasceram conectados à internet, foram crianças e adolescentes nos anos 2000 e tiveram acesso a redes sociais e smartphones quando ainda estavam na escola. Esse grupo tende a ser financeiramente consciente, questionador e realista.

O estudo completo do Think With Google” pode ser acessado aqui.

Agora que foram apresentadas as características dos millennials, como eles podem influenciar a cultura do café? Continue a leitura para entender.

QUAIS SÃO AS ONDAS DE CONSUMO DO CAFÉ?

As ondas do café estão relacionadas à evolução da maneira de se consumir a bebida ao longo do tempo. São divididas em três: primeira, segunda e terceira onda. Já há rumores sobre a quarta, leia até o final para entender.

PRIMEIRA ONDA DE CONSUMO: CAFÉ COMO FONTE DE ENERGIA


Surgiu no final do século XIX e início do século XX, depois da Segunda Guerra Mundial, o café nessa época era utilitário, o consumidor via o produto como uma fonte de energia, com o intuito de trazer estímulo para as suas atividades do dia a dia. Não havia uma preocupação com a origem e qualidade do grão, a atenção era voltada somente aos efeitos da bebida no corpo.

Essa onda trouxe as embalagens à vácuo, o café solúvel ou enlatado, tudo visando a rapidez no preparo. O consumidor era responsável pelo próprio preparo da bebida e a comercialização do produto era feita pelos supermercados. 

Os cafés da primeira onda apresentavam características como: predominância do grão robusta, torras mais escuras e sabor amargo.

SEGUNDA ONDA DE CONSUMO: EXPERIÊNCIA DE CONSUMO E MASSIFICAÇÃO 


A segunda onda nasceu a partir da preocupação do consumidor em adquirir qualidade e padronização do café, algo que não era presente na primeira onda. A ideia era ter uma bebida que não trouxesse somente uma fonte de energia para o corpo, mas que fosse uma experiência de consumo.

O café passa a ser consumido fora de casa, a partir do surgimento das famosas máquinas de espresso que ajudaram a popularizar a bebida. O consumidor passou a frequentar lugares como Peet’s Coffee & Tea e Starbucks para apreciar o café, além de desfrutar do ambiente de convivência.

Chegada das máquinas de espresso ao mercado marcam a Segunda Onda do Café. Crédito: Dimitri Bong no Unsplash

A experiência de consumo passa a ser valorizada com a utilização de grãos de diferentes lugares do mundo, como Colômbia e Guatemala, além do surgimento da variedade de bebidas à base de café e dos cafés em cápsulas.

TERCEIRA ONDA DE CONSUMO: EXPERIÊNCIA DE CONSUMO E EXCLUSIVIDADE 

Os consumidores passaram a procurar cafés diferenciados em cafeterias pequenas que trouxessem diferentes métodos de extração, fugindo do preparo automatizado e massificado, características marcantes da segunda onda do café. 

As principais empresas que adotam o movimento da terceira onda do café são: Blue Bottle, Counter Culture, Intelligentsia e Stumptown.

Na terceira onda, o consumidor passa a se preocupar com os métodos de produção e processamento, origem do café, condições climáticas, notas sensoriais, técnicas e demais fatores. Existe portanto, um consumo consciente com um público cada vez mais exigente.

As cafeterias da terceira onda apresentam cafés especiais, com diferentes métodos de preparo além do espresso com  versões do coado como AeroPress, Chemex, Hario V60 etc. O tipo de preparo passa a ser artesanal, diferentemente da segunda onda que era automatizado.

Método Hario V60. Crédito: Ke Vin no Unsplash

O consumidor busca cafés de qualidade em lugares diferenciados com a presença de torrefadores e baristas, que proporcionam uma bebida única e singular. O objetivo do coffee lover é apreciar uma bebida única, em um ambiente agradável, confortável e estiloso.

Para se aprofundar nos estudos da terceira onda de café, você pode acessar o artigo AS ONDAS DE CONSUMO DO CAFÉ

Agora que você já entendeu mais sobre a geração dos millennials e as ondas do café, vamos conferir como essa geração contribui para a evolução da cultura do café.

MILLENNIALS E A TERCEIRA ONDA DO CAFÉ 

Os consumidores da terceira onda do café podem ser associados aos millennials, pois essa geração é marcada pelo valorização da experiência e da qualidade. Pessoas da Geração Y têm como perfil geral um consumo mais consciente e mais engajado em causas sócio ambientais,  valorizando dessa forma a produção artesanal.

Por serem extremamente digitais, a Geração Y está antenada às informações, e com isso buscam empresas transparentes, engajadas e que se preocupam em oferecer produtos personalizados e de qualidade. Esses fatores são fundamentais para a tomada de decisão na criação de uma relação de consumo.

Cafeterias de Terceira Onda apresentam ambiente descolado com variação de métodos de preparo.

Afinal, os millennials não se preocupam com o preço da bebida, mas com o valor agregado e com o posicionamento da marca em temas como sustentabilidade e diversidade. Acesse aqui um estudo sobre cocriação de valor em cafeterias de terceira onda.

Essa geração opta por pagar um preço mais elevado para apreciar um café de qualidade de uma marca que se preocupa com os temas sociais.

O consumidor da Geração Y procura cafeterias de terceira onda porque servem cafés especiais que proporcionam uma bebida única e singular. O objetivo dos millennials é apreciar uma bebida única, em um ambiente agradável, confortável e estiloso.

As cafeterias de terceira onda são interessantes para esse público porque eles têm a oportunidade de saber mais sobre a bebida que consomem, a partir do diálogo com torrefadores e baristas.

QUARTA ONDA DO CAFÉ…? 

Atualmente já se fala na quarta onda do café que está relacionada ao consumo e preparo do café com diferentes métodos de extração, utilizando diferentes composições químicas na água e com alguns consumidores torrando o próprio grão em casa. Mas esse é um debate para um outro artigo…

Em síntese, as ondas do café evoluem conforme a sociedade vai se transformando, por isso já se fala em quarta onda. 

A tomada de decisão do consumidor para uma relação de consumo com uma marca envolve aspectos importantes como a qualidade, atendimento, mas também como essa empresa se engaja e se posiciona diante de temas relevantes para a sociedade.

Os millennials fazem parte de uma geração questionadora, que busca empresas que tenham valores de acordo com o seu estilo de vida. Isso é uma tendência que pode ser encontrada em diferentes setores, inclusive no café, com o crescente consumo de cafés especiais.

Atualmente as próprias cápsulas de café passaram por modificações devido à questões ambientais. O consumidor pode encontrar opções biodegradáveis, já que o plástico comum demora mais de 100 anos para se decompor.

A Geração Y não busca um produto ou serviço rápido que traga conveniência e que tenha preço barato. São indivíduos que valorizam a origem, o preparo e a entrega do produto com qualidade e uma boa experiência de consumo.